ACESSE O LEGNET 🔒

Gestão de Fornecedores conforme a ISO 9001:2015

06/12/2021 | Tempo de leitura: 4 minutos

Conforme a norma da ABNT ISO 9001:2015:

“A organização deve determinar e aplicar critérios para a avaliação, seleção, monitoramento de desempenho e reavaliação de provedores externos, baseados na sua capacidade de prover processos ou produtos e serviços de acordo com requisitos”.

Provedores externos são todos os fornecedores que a empresa necessita para realizar seus processos, produtos e serviços em conformidade, ao ponto que possibilite atender aos requisitos de seu cliente com qualidade.

Desde prestadores de serviços até empresas terceirizadas, os fornecedores podem gerar diversos impactos na empresa pois, pode haver uma influência direta na imagem da Organização.

Ao realizar a qualificação dos fornecedores é importante ter como foco que não basta apenas avaliar sua documentação, pois a intenção da norma é que haja uma abrangência mais profunda no monitoramento de provedores externos.

A qualificação dos fornecedores no âmbito da ISO 9001/2015 vai muito além de avaliar a documentação.  A avaliação inicial, monitoramento do desempenho e reavaliação devem ser etapas desenvolvidas no processo de monitoramento de fornecedores.

Porém, é importante solicitar toda documentação que garanta a execução das suas atividades em conformidade com requisitos legais e estatutários. Dados cadastrais, licença de funcionamento e certificações são exemplos de informações a serem solicitadas.

Trabalhar com fornecedores certificados nas normas de sistema e gestão garantem uma maior confiança. Outro método utilizado é responder ao questionário de auto avaliação ou realizar visitas ao fornecedor para identificar potenciais problemas que não seriam identificados em uma análise documental. É fundamental que o fornecedor seja rotineiramente monitorado.

A cobrança de atendimento ao prazo de entrega; se o pedido de compras está compatível com a nota fiscal; a qualidade do material recebido são cobranças corriqueiras feitas aos fornecedores.

Importante ressaltar a dependência criada entre parceiros perante ao mercado. Trabalhar com um fornecedor idôneo e confiável pode ser determinante para o sucesso desta relação perante a mídia e sociedade.

Como exemplo, destacamos o monitoramento constante, necessários aos fornecedores de extintores, ar condicionado, transportadora e bebedouro, pois são imprescindíveis para evitar intercorrências que poderiam gerar grandes impactos para a empresa.

Por segurança, é indicado ter sempre três fornecedores homologados para caso tenha problemas com um fornecedor haja substituição sem causar danos.

Também é possível estender a melhoria contínua aos fornecedores criando planos de ação para intercorrências identificadas quando há interesse em reforçar parcerias e resolver processos internos.

As reavaliações são importantes para evidenciar se os documentos e certificações do fornecedor continuam em conformidade. As reavaliações podem ocorrer em periodicidade anual ou semestral.

Entretanto, cada empresa define uma sistemática própria a ser seguida, mas é fundamental que se tenham todos registros do que realmente ocorreu. O planejamento e a comunicação clara e direta garantem a eficácia da relação entre parceiros.

A forma como será definido o monitoramento de fornecedores depende de cada empresa, no entanto, sempre observando que todos os atos devem ser registrados.

Controles são essenciais para confirmar que processos, produtos e serviços estejam em conformidade com requisitos, incluindo critérios para a avaliação, seleção, monitoramento de desempenho e reavaliação dos mesmos.

Conforme a ISO 9001/2015, todo e qualquer risco deve ser analisado criticamente e neste contexto,  conhecer, monitorar e, principalmente agir mediante riscos pode ser uma abordagem eficiente para monitoramento de fornecedores.


Como a ISO 9001:2015 impacta na sua gestão estratégica?

25/09/2017 | Tempo de leitura: 5 minutos

A produção de qualquer produto ou serviço requer planejamento. E não basta pensar nas etapas, é preciso desenhar cada processo de forma que funcione perfeitamente e sem inconvenientes. Seja para fabricar um banco de madeira ou um avião, a gestão estratégica é fundamental quando assunto é qualidade do produto final.

A ISO 9001:2015 surge exatamente para melhorar o compromisso dos gestores em relação à padronização dos processos internos de um empreendimento. Além disso, as primeiras versões da norma inicialmente se referiam a produtos e não faziam referência aos serviços. Felizmente isso mudou na nova versão e agora todos os tipos de outputs (saídas) estão contemplados na normativa, sejam softwares ou materiais fabricados.

Quando aborda a gestão de qualidade, a ISO 9001:2015 demanda processos altamente detalhados para que toda a conjuntura da companhia funcione de acordo às expectativas de produção. E as orientações não valem somente para os processos internos. Serviços terceirizados e provedores igualmente precisam estar alinhados com a normativa.

Buscar o certificado ISO 9001:2015 não se trata somente de melhorar a qualidade dos seus processos, envolve diretamente um planejamento otimizado e eficiente. A gestão estratégica cobra particular importância ao desenvolver metodologias inovadoras e funcionais. Como dissemos anteriormente, não há resultados satisfatórios sem o devido planejamento.

De uma maneira geral houve uma evolução bastante significativa desde a primeira versão da ISO 9001 até essa versão 2015. O grande benefício que a nova Norma pode trazer para a organização, é que ela deixou de ser um sistema paralelo do negócio para gerenciar o centro dos negócios da organização. Antes, a empresa atendia à Norma e se gerenciava em paralelo. Agora há um envolvimento da Alta Direção para atender e implementar um sistema de gerenciamento da organização, para melhorar o lucro e o relacionamento com todos os stakeholders, ressalta Figuera.

Vamos dar uma olhada em alguns pontos que sofreram modificações para entender melhor os conceitos da nova normativa:

LIDERANÇAS MAIS ATIVAS

Até a versão de 2008 da ISO 9001, o maior encarregado da gestão de qualidade era o denominado Representante de Direção. Na nova versão, essa atribuição foi horizontalizada e podem existir vários atores que compartilham a gestão. O resultado prático é uma maior transmissão dos valores que determinam a qualidade.

MANUTENÇÃO DAS QUEIXAS

Feedbacks sempre foram importantes para realizar ajustes em cadeias produtivas. A ISO 9001:2015 presta particular atenção neste ponto quando indica que toda e qualquer reclamação – não só dos clientes, mas também dos empregados e provedores externos – devem ser registradas e solucionadas. Em um mundo ideal, não haveria queixas, mas como precisamos lidar com falhas no dia a dia, a solução dos inconvenientes tem impacto direto no planejamento estratégico e na qualidade do resultado final.

COMUNICAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES

Uma estrutura organizada precisa ter as responsabilidades de cada área/função determinadas claramente. Um organograma possibilita esse entendimento de forma clara e visualmente assimilável. Quando comunicamos todos os papéis, responsabilidades e diretrizes de comportamento, somos capazes de unificar a cultura da empresa e esperar ter os mesmos resultados e condutas em qualquer etapa dos processos.

TREINAMENTO E CONHECIMENTO

As capacitações têm um lugar fundamental em qualquer organização. A gestão estratégica de um empreendimento precisa antecipar avaliar todos os aspectos funcionais da empresa para que possam ser criados os processos ideais de treinamento. Mas, além disso, é fundamental transformar as informações administradas em conhecimento, tudo em prol da sustentabilidade das iniciativas. O treinamento é exercido, o conhecimento pode ser compartilhado e melhorado, e então, a qualidade final também é beneficiada.

Como principal lição, a ISO 9001:2015 tem a oferecer o conceito de que nenhum processo produtivo está composto por partes isoladas. Quando entendemos que o resultado final é produto de uma longa cadeia logística de produção, estabelecer os parâmetros que orientam a estratégia torna-se fundamental para a padronização dos processos.

Para Figuera, o maior desafio dessa certificação ainda é o ser humano e principalmente aqueles que têm mais autoridade na empresa. O desafio é conscientizar a Alta Direção de que existe uma proposta lógica entendida no mundo todo e que deve ser homogênea na organização. Às vezes você até convence a Alta Direção em alterar o sistema e da importância das decisões serem baseadas em evidências. Mas, quando chega na média gestão pode haver alguma resistência. Por isso, é muito importante fazer essa catequese interna, reforça.

Afinal de contas, certificar seus procedimentos a partir da ISO 9001 não se resume apenas a melhorar sua imagem de marca e relacionamento com os clientes. É preciso uma mudança cultural e estrutural, que irão trazer outros tantos benefícios como: diminuição dos custos de produção, aumento da produtividade e novos mercados que podem surgir em função do seu salto qualitativo. Do mesmo modo, a gestão estratégica é uma importante aliada pois, garante uma cultura homogeneizada, um serviço ou produto criado de acordo com normas padronizadas e toda a empresa mais produtiva.

Fonte: Estadão


ISO 9001 e 14001 versões 2015 GAP ANALYSIS - Avaliação de Migração

14/09/2017 | Tempo de leitura: 4 minutos

Benefícios da Migração para as Versões 2015 das NBRs ISO 9001 e 14001

As duas principais normas Internacionais, a NBR ISO 9001:08 e a NBR ISO 14001:04, receberam uma nova versão 2015. As normas da família ISO são revisadas periodicamente para garantir que as normas permaneçam sempre atualizadas. As empresas certificadas não a opção de escolher por qual revisão da(s) Norma(s) Internacional(is) elas querem ser auditadas até Setembro de 2018 (data limite).

Acreditamos que esta escolha será baseada no nível de preparo da organização para receber a auditoria de acordo com a nova versão. Esse período de transição reconhece que há necessidades de nossos clientes em garantir um treinamento adequado; atualizar os seus sistemas de gestão e implementar mudanças com foco na abordagem dos requisitos adicionais.

Melhorias na Gestão de Riscos e Oportunidade

A nova ênfase da Gestão de Oportunidade e Risco nos Sistemas de Gestão vem reafirmar o seu uso como um Instrumento de Governança, bem como um Acelerador de Desempenho. Isto assegurará que a Organização seja capaz de identificar Riscos e Oportunidades mais efetivamente, de modo a melhorar a Eficiência Operacional, reduzindo duplicidades, economizando tempo e dinheiro.

Ganho de Qualidade na Reputação da Organização

Ao adotar as novas normas, a Organização sinaliza claramente aos Clientes existentes e em potencial uma abordagem de Liderança Inovadora e proativa em SGA e SGQ através dos Sistemas de Gestão.

Redução dos Riscos por Problemas Durante a Migração

Caso a Organização decida esperar até o final do período de transição, haverá menos tempo para a correção dos problemas detectados, aumentando assim o lapso temporal necessário para a execução das ações de adequação do SGI.

O Empreendimento pode até mesmo correr o risco de ter o seu Certificado expirado antes da efetivação da transição, prejudicando inclusive a participação em licitações públicas.

Redução de Custos

As Organizações que fazem a migração durante um longo período de tempo devem manter um Sistema de Gestão em Conformidade tanto com as antigas quanto com as novas versões das Normas, durante todo o período de transição. Isso acaba por impor uma carga maior de Conformidade à Organização, implicando em Risco de incidência de Não-Conformidades.

Abordagem mais Flexível

A adoção das novas Normas logo de início significa que você pode beneficiar-se rapidamente dos Requisitos menos prescritivos das Normas revisadas, isto é, documentação reduzida, com economia de tempo e recursos.

Compromisso da Alta Direção

Incentivar o entusiasmo no Ambiente Interno ao fazer as mudanças dentro da Organização logo no início do processo de migração da Norma, em lugar de tentar recuperar o tempo perdido para estar em Conformidade no fim do período de transição. Isso assegurará que a sua Organização tenha mais tempo para alocar os Recursos Corretos.

Melhor Integração

A nova estrutura comum a todas as Normas de Sistema de Gestão assegurará a integração dos Sistemas na Organização de forma mais uniforme, sem maiores investimentos de tempo e dinheiro.

Características:

*Análise de todo o Sistema de Gestão da Empresa ISO 9001:08 e 14001:04;

*Emissão de Relatório Detalhado através de Ações abordando as necessidades de adequação frente às novas versões 2015;

*Definição de planos de ação e prazo de atendimento para as adequações.


Sistema de Gestão Integrada LegNet
ISO 9001 ISO 14001 ISO 45001